quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Atualize seu status no Orkut via SMS e de graça

Novidade já está disponível para os usuários brasileiros, mas por enquanto é compatível apenas com a operadora TIM.


Usuários do Orkut que possuam um número de celular vinculado à operadora TIM já podem atualizar o seu status via SMS sem precisar pagar nada por isso. A novidade foi anunciada hoje no blog oficial do Orkut. A rede social ainda trabalha para incluir outras operadoras no pacote, mas ainda não há um prazo ou mesmo uma definição se outras empresas também irão disponibilizar o serviço futuramente.

A utilização do SMS para atualização de status é muito simples, mas requer primeiramente um cadastro do número de telefone por parte do usuário. O primeiro passo é acessar a página do serviço Orkut SMS.

Em seguida, clique em “Comece a utilizar agora”. Será aberta uma pagina de configuração do serviço. Dentro da guia perfil, no campo telefone, insira o número de seu celular juntamente com o código DDD (por exemplo: 41-9999-9999) e confirme a atualização.


Você receberá em seu celular uma mensagem contendo uma URL e um código de ativação. Digite a URL no seu navegador e acesse a página para confirmar o recebimento. Em seguida, insira o código de ativação no campo disponível.

Importante: para que a ativação seja efetivada com sucesso, é preciso que você esteja utilizando o novo visual do Orkut.

Seu trabalho está concluído. Para alterar o status via SMS, basta enviar uma mensagem para o número 67588. O envio não é tarifado, mas você precisa ter créditos válidos, caso o celular seja pré-pago. O status é atualizado imediatamente e seus amigos podem conferir a mensagem no campo “atualizações de amigos”.

Entretanto, é preciso ficar atento. Ao autorizar a utilização do serviço, o número do celular ficará disponível para visualização em seu perfil. Assim, caso você não tenha habilitado nenhuma opção de privacidade, qualquer usuário que visite a sua página poderá vê-lo.

Por Wikerson Landim

Autor Tércio Pinheiro
http://informaticamestre.blogspot.com

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Camera Mouse 2011

"Não consegue utilizar o mouse com as mãos? Pegue sua webcam e use a cabeça (literalmente)!"

Camera Mouse 2011 é um programa desenvolvido pelos pesquisadores das universidades Boston College e Boston University com a finalidade de ajudar pessoas com problemas de coordenação motora nas mãos. Sua proposta é simples: coloque a webcam sobre o monitor, mire em seu rosto, instale o programa e comece a usar sua cabeça para mover o cursor do mouse e clicar!

Quem sofreu algum tipo de acidente e perdeu o total controle sobre os movimentos das mãos estava fadado a não ser mais capaz de utilizar o computador por conta própria, pois o problema atrapalhava a movimentação adequada do mouse. Porém, isso deixou de ser uma realidade infeliz graças ao Camera Mouse 2011: com ele você usa a cabeça em vez das mãos e pode voltar a se conectar com o mundo sem depender de outras pessoas!



Comece a usar agora mesmo

Depois de baixar e instalar o Camera Mouse 2011, basta executá-lo para que ele detecte automaticamente a webcam conectada ao PC. Na primeira tela aberta, selecione qual deseja utilizar e pressione “OK”.

A janela seguinte exibe a imagem capturada pela webcam. Tenha certeza de mantê-la posicionada em frente ao seu rosto – colocá-la em cima, ao lado ou em baixo faz você perder a precisão dos movimentos com a cabeça.

Com tudo ajeitado adequadamente, clique com o mouse sobre um ponto de sua cabeça para criar um quadrado verde na imagem – ele é responsável por indicar os movimentos realizados, portanto deve ser, por exemplo, o centro de sua testa. Feito isso, espere alguns instantes e a movimentação por meio da webcam será ativada.

 
Entretanto, caso você não acesse “Settings” para alterar as configurações, não será possível clicar de maneira alguma. Na parte esquerda da janela aberta há a opção “Clicking”, por meio da qual você define quanto tempo o cursor precisa ficar parado para que isso seja considerado um clique. Isso mesmo, parar de mexer a cabeça significa um clique – logo, altere o número de segundos para navegar mais facilmente.

Por fim, há a possibilidade de você experimentar um problema de falta de precisão com o cursor. Nas configurações, clique sobre “Auto Calibrate” para calibrar a movimentação (quadrados vermelhos aparecerão na tela: encaixe o verde sobre eles nos quatro cantos da imagem e perceba a mudança). Caso isso não funcione, ao lado da opção é possível definir manualmente a sensibilidade do sensor.

Outras opções

O mesmo desenvolvedor do Camera Mouse 2011 também desenvolveu outros aplicativos que usam o mesmo princípio dele. Por exemplo, há diversos joguinhos para você brincar usando a cabeça – mesmo que não tenha dificuldades motoras. Clique aqui para acessar a página de downloads e conferir outras possibilidades da movimentação do cursor via webcam!

Por CameraMouseOrg

Autor: Tércio Pinheiro

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Mudando de hardware com Windows XP

Quem já tentou clonar o HD com uma instalação do Windows XP de uma máquina para a outra já se deparou com uma BSOD (tela azul) ou com resets automáticos, isso ocorre pois a Microsoft não oferece suporte para clonagem de instalações para configurações que tenham HAL (Hardware Abstraction Layer) diferentes, nem mesmo utilizando o Sysprep, que somente serve para fazer cópias de instalações para máquinas iguais. Nessea dica irei ensinar uma forma de completar essa operação do sucesso, permitindo inclusive ter em um case externo a imagem de uma instalação completa, com Windows atualizado, Office, programas, Anti-vírus

Primeiramente é necessário para o download do seguinte arquivo: Arquivos para clonagem. Além desses arquivos, sugiro a instalação do software 7-zip (freeware).

Após fazer o download dos arquivos necessários, use o 7-zip para descompactá-los no C: da instalação que deseja clonar ou simplesmente transferir para outra máquina com configuração diferente, muito comum em caso de upgrade. Agora navegue até a pasta C:\Windows\Driver Cache\I386, utilize novamente o 7-zip para extrair os seguintes arquivos de driver.cab:

Atapi.sys
Intelide.sys
Pciide.sys
Pciidex.sys

Copie esses mesmos arquivos (extraídos de driver.cab) para o caminho: C:\Windows\System32\Drivers.

No C: da instalação, encontre o arquivo Mergeide.reg, extraído anteriormente. Clique com o botão direito e selecione a opção "mesclar", respondendo "sim" a pergunta que vem em seguida.

Para quem vai apenas fazer um upgrade, colocando o HD em uma nova configuração, está pronto, basta colocar o HD na nova configuração e instalar os novos drivers, usufruindo das configurações aplicadas e programas instalados anteriormente.

Para quem deseja criar uma imagem pronta no seu case externo para instalar em outros micros, caso comum para profissionais de informática, ainda será necessário clonar a partição usando seu software de preferência, eu particularmente utilizo o Norton Ghost, porém existem opções gratuitas, como o Partition Image.
Se por acaso o sistema não iniciar após a clonagem, pedindo para inserir disco de boot, será necessário ativar a partição novamente, para isso a melhor opção é usar o Partition Magic, porém é um software pago, como opção gratuita sugiro o GParted, que vem no Live-CD do Kurumin, que preferir pode baixar Live-CD exclusivo do GParted no site do desenvolvedor (gparted.sourceforge.net), bastando marcar nos atributos da partição como ativa/inicialização.

Não tive a opção de testar essa dica em uma situação onde seria necessário instalar o driver Sata para o HD ser reconhecido normalmente, nos meus testes clonei um HD Sata da Seagate da seguinte configuração:
Notebook HP/Compaq V6210BR Sempron 3500+ | 1 GB DDR2 | Geforce 6150 Go 128 MB | Seagate Sata 60 GB.

Screenshot da instalação no Notebook:
Clique na imagem para ampliar

E restaurei a imagem em um HD Pata da Samsung da seguinte configuração:

Asus K8V-VM Ultra | Sempron 2600+ | 256 MB DDR400 | Via Chrome 9 | Samsung Pata 80 GB.
Screenshot da mesma instalação, já no PC.


Já restaurei essa imagem em alguns HDs de clientes meus, sendo necessário apenas instalar os drivers da nova configuração para que o PC funcione perfeitamente bem.

Deixo aqui meus agradecimentos e créditos a Igor Humberto, do fórum TechNet, que me ajudou a chegar a essa dica, me fornecendo os arquivos necessários e as instruções de uso.

Um abraço a todos, espero que gostem :-)

Por Denilson Marcos Nepomuceno

Autor: Tércio Pinheiro
http://informaticamestre.blogspot.com

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Como mover o cache do Chrome e Firefox para aumentar a velocidade de navegação

Aprenda a criar um disco virtual que armazenará o cache dos navegadores e deixará sua a velocidade de navegação até 20% mais rápida.

 Você pode usar a memória RAM do PC para armazenar o cache dos navegadores!

Você já ouviu falar em RAM drive? Estes são discos virtuais que utilizam parte da memória RAM de uma máquina para armazenar dados. A princípio você pode pensar “mas para que um disco virtual se eu já tenho o disco rígido?”, porém, o que talvez você não saiba é que além de servir para uma emergência, os RAM drives transmitem dados com maior velocidade do que os HDs.
Pois bem, mudando um pouco de assunto, vale lembrar para que serve o cache de um navegador. Este recurso é onde ficam armazenadas imagens e outras informações presentes nos arquivos de uma página que você visitou. Desta forma, da próxima vez que acessar, o navegador buscará as informações diretamente no disco rígido e não na web, tornando o processo mais rápido.

Se agora você se pergunta o que uma coisa tem a ver com a outra, é porque ainda não pegou o espírito da coisa: a ideia é mudar o cache dos navegadores (neste caso do Chrome e do Firefox) para um RAM drive, permitindo que os dados ali armazenados sejam transmitidos mais rapidamente, agilizando ainda mais o carregamento das páginas.

Pré-requisitos

Para realizar esta operação, nós selecionamos o programa Dataram RAMDisk, um aplicativo pequeno, leve e bem fácil de ser configurado. Clique no link abaixo para fazer o download.

Para baixar o RAMDisk clique aqui.

Faça você mesmo

Mãos à obra! Ao executar pela primeira vez o RAMDisk, você visualiza uma janela de configuração. No campo “Disk size” inclua como tamanho do disco o valor de 500 MB, o suficiente para os nossos propósitos. Marque ainda a opção “FAT32 Partition” para criar uma partição neste formato. Clique em “Start RAMDisk” para iniciar o disco virtual.

Na aba “Load and Save” habilite as opções “Load Disk Image at Startup” e “Save Disk Image on Shutdown”. Se desejar, você pode alterar os nomes padrões destas opções, mas isto não é realmente necessário. Não é preciso habilitar nenhuma outra opção e caso surja alguma janela de aviso apenas confirme clicando no botão “OK”.

Agora vá a Menu Iniciar > Computador e abra o disco virtual, que provavelmente se chama “Disco Local”.

No disco crie a pasta a pasta “CacheNavegador”. O caminho para esta pasta será E:\CacheNavegador. Não se esqueça de verificar se no seu computador a letra “E” é a que representa o RAM drive.

Agora que tudo está configurado é hora de aplicar as alterações nos navegadores:

Mozilla Firefox

No campo de endereços do Firefox execute o comando about:config. Se aparecer algum aviso, confirme que você será cuidadoso e então acesse uma página semelhante a esta.

Clique com o botão direito do mouse sobre um espaço em branco da tela, vá a Nova preferência > String. Na janela que se abriu você deve colar o código browser.cache.disk.parent_directory e pressionar “OK”.

Ao pressionar “OK” uma nova janela, semelhante a anterior, surge na tela e nela você deve inserir o endereço da pasta criada no disco virtual. No caso deste tutorial, o caminho é E:\CacheNavegador.

Feche todas as janelas e abas do Firefox, reinicie o programa e pronto, ele já passará a usar o novo local para armazenar o cache.

Google Chrome

Antes de começar a fazer as alterações encerre todas as sessões do navegador. Agora clique com o botão direito do mouse sobre o atalho do Google Chrome e vá a “Propriedades”. Na janela que se abriu, adicione o código -disk-cache-dir="E:\CacheNavegador" (confirme a letra referente do disco virtual) ao final do campo “Destino”.

Clique em “OK” e pronto. Agora é só navegar tranquilamente e os arquivos serão armazenados no novo local.

Está pronto! Você redefiniu os locais do cache e agora é provável que sua velocidade de navegação seja aumentada em até 20%. Poste nos comentários abaixo quais foram suas impressões desta mudança.

Por: Douglas Ciriaco

Autor: Tércio Pinheiro

http://informaticamestre.blogspot.com

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

MyDiskNode: Aplicativo em Java e extremamente simples para compartilhamento gratuito de arquivos pela internet.

MyDiskNode é uma solução rápida e muito simples para quem deseja compartilhar arquivos pela web. Este é um aplicativo em Java que trabalha com o servidor WikiWebServer e permite usar o servidor para que arquivos existentes em seu PC sejam acessados por outros usuários.

Assim basta você selecionar um diretório do sistema, nomeá-lo e então ter todo seu conteúdo disponibilizado na web. Em pouco tempo todo o material é indexado e pode ser compartilhado pela internet por meio de links diretos.

Para baixar o MyDiskNode clique aqui.


Rápido e sem instalação

O MyDiskNode dispensa instalação, pois necessita apenas do Java Runtime instalado na máquina em que vai trabalhar. Então basta executar o arquivo no formato JAR e você está pronto para usufruir dos benefícios do programa. Ele possui três abas e nem será preciso acessar todas elas para compartilhar uma pasta.


Na aba “General” você encontra o campo “Shared folder” e é nele que define qual a pasta do sistema que será compartilhada. Clique em “Browse” e encontre o diretório cujo conteúdo deve ser disponibilizado na web. O campo “Node Name” é o nome para ser a referência online da pasta.


Por fim, você recebe um endereço específico para acessar os arquivos compartilhados. A URL é composta por “http://www.wikiwebserver.org/nodes/” mais o nome da pasta que você escolheu.

Proteção

O MyDiskNode não deixa de lado a segurança dos arquivos compartilhados. Se desejar, você pode inserir uma senha para prevenir que usuários não autorizados tenham acesso aos arquivos que você compartilhou. Insira o código e mantenha tudo bem longe de visitantes indesejados.


Configurações avançadas

Para quem possui conhecimento, é possível realizar configurações avançadas no MyDiskNode. A guia “Advanced”, além das questões de segurança, trata também de outras tarefas relacionadas ao servidor usado pelo programa. É recomendado que estas informações sejam alteradas somente se você tem certeza do que está fazendo, pois podem prejudicar o funcionamento do MyDiskNode.

Enfim, se você precisa dividir arquivos com outros contatos, talvez o MyDiskNode seja uma opção a ser considerada, pois é multiplataforma e dá conta do recado perfeitamente, não tendo apresentado problemas durante os testes realizados.

Por: Michael Gardiner 

Autor: Tércio Pinheiro
http://informaticamestre.blogspot.com

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Dicas do XP/7 : aprenda a ocultar e desocultar arquivos e pastas

Esconder arquivos pode ser muito útil e encontrar aquelas DLLs do Windows pode ser preciso. Saiba como fazer isso.

O Windows é um sistema relativamente grande e que depende de uma quantidade enorme de arquivos para operar corretamente. Ao verificar todos os arquivos importantes que o Windows precisa utilizar constantemente, a Microsoft optou por adicionar a opção de ocultar arquivos. Este recurso é muito interessante para prevenir o usuário contra a exclusão de arquivos importantes (visto que sem alguns arquivos o Windows não poderia funcionar), mas também é útil para você que procura uma maneira de esconder seus arquivos mais secretos de pessoas que gostam de bisbilhotar.


No artigo de hoje você verá como é fácil ocultar e desocultar arquivos, basta seguir alguns poucos passos. Vamos começar aprendendo como ocultar os arquivos.

No Windows XP 

Sumindo  


1) Clique com o botão direito sobre o arquivo ou pasta que você deseja ocultar e selecione “Propriedades”.


2) Na parte inferior desta janela, há os atributos do arquivo. Marque a caixa “Oculto” para esconder o arquivo.



3) Repare que após ocultar o arquivo, ele some, porém a barra de status da pasta ainda informará que há um (ou vários) arquivo oculto.


Visualizando o invisível  

Agora vamos ao processo inverso, acompanhe:

1) Clique no menu “Iniciar” e abra o “Painel de Controle”.


2) Duplo clique sobre o ícone “Opções de Pasta”.


3) Vá para a aba “Modo de exibição”.


4) Role a barra até encontrar o item “Pastas e arquivos ocultos”. Marque a bolinha “Mostrar pastas e arquivos ocultos”.


No Windows 7

Para ocultar arquivos no windows 7, siga os mesmos procedimentos do Windows XP. Para desocultar arquivos faça o seguinte:

1) Abra uma pasta qualquer, clique em organizar, depois clique em opções de pasta e pesquisa.


2) Agora siga os passos 3 e 4 do windows XP.

Mais uma dica

Se de repente em seu pendrive, cartão de memória, ou hd externo sumirem todos os seus arquivos, saiba que um vírus pode ter apenas ocultado seus arquivos, mas de uma forma diferente e, nesse caso, as informações sobre ocultar e desocultar aquivos, ensinadas até agora, não funcionam. Esses tipos de vírus costumam adicionar o atributo "s" (arquivo de sistema) e "h" (arquivo oculto) aos seus arquivos e por padrão o Windows mantém os arquivos desse tipo sempre ocultos (mesmo que você execute os procedimentos ensinados até agora).


Para resolver esse tipo de problema faça o seguinte:

1) Passe um bom antivírus em seu dispositivo de armazenamento e remova todos os vírus. Saiba que mesmo removendo todos o vírus seus arquivos ainda não voltarão ao norma (ainda ficarão ocultos) .

2) Após remover os vírus faça isso:

Vá no menu Iniciar > Executar ( no Win7 o "executar" equivale a caixa que fica logo abaixo do menu "todos os programas")  > Digite cmd e tecle Enter
Na janela que abrir, copie e cole (ou digite) o comando abaixo e tecle Enter:
attrib -s -h "F:\*.*" /s /d


Obs: preste atenção nas aspas, elas representam espaço e não devem ser digitadas.

O exemplo acima mostra como retirar os atributos oculto e arquivo de sistema de todas as pastas, subpastas e arquivos do dispositivo F. A letra F aqui representa a letra do dispositivo que foi infectado pelo vírus (pendrive, cartão de memória e etc), mude essa letra de acordo com a letra de seu dispositivo. Você pode ver qual a letra de seu dispositivo abrindo Meu computador. Veja o exemplo abaixo: 


Repare que no meu exemplo C: é o meu HD, D: é minha unidade de DVD-RW e F: é o meu pendrive, mas essas são as configurações do meu computador, o seu pode estar diferente, então sempre cheque a letra do seu dispositivo antes de executar o comando.

Para entender o comando


attrib: comando para mostrar ou modificar os atributos dos arquivos.

-s: retirar atributo "arquivo de sistema"

-h: retirar atributo "oculto"

"F:\*.*": indica o dispositivo e quais arquivos ( o *.* indica que são todas as pastas e arquivos de qualquer extensão no dispositivo F:)

/s: incluir todas as subpastas

/d: também modificar o atributo das pastas

É isso galera... Qualquer dúvida é só postar um comentário.


Por Fabio Roberto Machado Jordão / Tércio Pinheiro

Autor: Tércio Pinheiro
http://informaticamestre.blogspot.com

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Como fazer seu computador desligar automaticamente quando não estiver em uso

Aprenda a utilizar o Agendador de Tarefas do Windows e gerencie melhor o tempo que seu PC permanece em funcionamento.

Quem preza pela saúde do computador sabe bem que deixar o micro ligado por muitos dias seguidos pode gerar alguns problemas. Tanto o sistema operacional como o hardware são afetados conforme a utilização do PC. Além disso, um PC que permaneça ligado por muito tempo tende a gerar uma conta de energia astronômica.

Claro que nem sempre queremos deixar o PC ligado a noite toda, mas algumas vezes é necessário deixá-lo funcionando para execução de alguma tarefa (como uma desfragmentação ou a varredura do programa antivírus). Para estes casos é que existe o Agendador de Tarefas, um programa do Windows, que você já deve ter visto, mas que nunca pensou em usar.

Enfim, esta é apenas uma das possíveis tarefas a executar com o aplicativo do Windows. Sendo assim, nosso tutorial de hoje vai mostrar como utilizar o Agendador de Tarefas para desligar o computador sempre que o PC ficar ocioso por muito tempo.

Passo-a-passo

1)    Abra o “Menu Iniciar”, acesse a pasta “Acessórios” e dentro de “Ferramentas do Sistema” clique em “Agendador de Tarefas”;

 2)    Entre no menu “Ação” e clique em “Criar Tarefa”;

 3)    No campo “Nome” defina um apelido para sua tarefa. Depois marque a caixa “Executar com privilégios mais altos” e então clique em "OK";

 4)    Alterne para a aba “Disparadores” e na parte inferior da janela clique em “Novo...”;

 5)    Nas configurações selecione o modo “Diário” para que a tarefa seja executada todo dia e então defina um horário para o início da tarefa;


Exemplo: se você costuma usar o PC até 23:00 horas, pode programar o desligamento para depois das 23:30.

6)    Depois de definir os dados de horário, clique em “OK”;

7)    Agora mude para a aba “Ações” e clique em “Novo...”;



8)    Selecione a ação “Iniciar um programa” e no campo “Programa/script” escreva o seguinte:
shutdown

10)    Em “Adicione argumentos (opcional)” digite o comando: /S /F


11)    Clique no botão “OK” para fechar esta janela;

12)    Acesse a aba “Condições” e escolha por quanto o tempo o PC deve estar ocioso para que a tarefa seja iniciada;


Exemplo: se você costuma efetuar downloads durante a madrugada, pode definir um tempo maior de ociosidade, algo acima de 3 ou 4 horas.

13)    Por fim, vá para a aba “Configurações” e no campo “Se ocorrer falha na tarefa, reiniciar a cada” defina o tempo para que a tarefa seja iniciada novamente. Com esta configuração você garante que se você resolver utilizar o PC além do horário estabelecido, a tarefa não vai falhar, pois depois de determinado tempo o Agendador tentará realizar o processo novamente.


Agora é só fechar a janela de novas tarefas e certificar-se de que o Agendador de Tarefas continua ligado. Utilize o PC a vontade e deixe que o PC seja desligado automaticamente.

Por Fabio Roberto Machado Jordão

Autor: Tércio Pinheiro

http://informaticamestre.blogspot.com

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Como recuperar ou resetar as senhas utilizadas para fazer login no Windows

Esqueceu de sua senha e não consegue mais acessar documentos importantes? O InformaticaMestre ensina como acessar novamente o sistema operacional.

Esquecer-se da senha utilizada para fazer login no Windows, embora seja uma situação pouco comum de acontecer, não é completamente impossível. Afinal, durante o dia a dia somos obrigados a decorar tantas senhas que fica difícil saber todas, a não ser que se quebre todas as recomendações de segurança possíveis e se utilize o mesmo código para acessar todas as atividades realizadas.

Outro problema comum é quando herdamos computadores que outras pessoas não utilizam há tempos, cuja senha de acesso há muito foi esquecida. Nesses casos, a solução mais comum é simplesmente formatar o disco rígido e reinstalar o sistema operacional, processo que não é o ideal, mas muitas vezes se mostra o mais efetivo.

Porém, existem alternativas para quem deseja resetar ou recuperar a senha utilizada pelo Windows, sem que para isso seja preciso perder todos os documentos importantes presentes no HD. Para isso, é preciso utilizar um pendrive ou disco de instalação com uma cópia móvel do Ubuntu. 

Neste artigo mostramos duas formas de recuperar a senha do Windows utilizando o Linux como forma de acessar os arquivos presentes na máquina. O primeiro método envolve utilizar o programa chntpw para resetar ou recuperar a senha – processo que requer a utilização do terminal do Ubuntu, o que pode ser complicado para usuários novatos, mas não põe em risco nenhum arquivo do sistema.

Já o segundo método é mais simples, porém exige modificar o nome de alguns arquivos importantes do Windows. Embora o processo seja relativamente rápido, é preciso tomar cuidado para restaurar os valores modificados à forma original – caso contrário, algumas funções do sistema operacional deixam de funcionar corretamente.

Para obter mais informações sobre como criar um pendrive, CD ou DVD capaz de iniciar o Ubuntu, consulte o artigo “Transforme seu pendrive em um sistema operacional totalmente funcional e móvel!”.

Pré-requisitos

Versão 9.10 (utilizada durante a confecção deste artigo) ou superior do Ubuntu - Clique aqui para baixar.

Pendrive ou disco capaz de iniciar o Ubuntu ao mesmo tempo que o computador. Clique aqui para acessar o artigo que explica como realizar essa etapa.

Primeiro método: utilizar o chntpw e o terminal do Linux

 Depois de iniciar o computador através do sistema operacional Linux, siga os passos apresentados abaixo para realizar a instalação do chntpw, software responsável por recuperar a senha utilizada. Os processos de instalação podem ser utilizados para qualquer versão do Windows a partir da 2000, diferindo somente caso o sistema tenha 32 ou 64 bits.

Instalação em sistemas com Windows 32 Bits

1) Clique em System>Administration e em seguida selecione Synaptic Package Manager.

 2) Para que seja possível instalar o chnptw é preciso atualizar a lista de repositórios do Ubuntu, para que sejam incluídos aplicativos desenvolvidos de forma não oficial. Para isso, no Synpatic Package Manager clique em “Settings” e selecione a opção “Repositories”.

 3) Na próxima tela marque a opção “Community-maintained Open Source software” (Software Open Source mantido pela comunidade) e clique em “Close” para fechar a janela.

4) Quando se atualiza a lista de repositórios que devem ser utilizados, é preciso recarregar a lista de programas disponíveis. Para isso, clique em “Reload” (Recarregar) e aguarde alguns instantes enquanto o Ubuntu carrega a lista dos softwares disponíveis para download.

 5) Depois de baixar a lista de programas é preciso aguardar algum tempo até que o Ubuntu reorganize seu sistema de buscas. Enquanto esse processo acontece, é exibida na tela a mensagem “Rebuilding Search Index”.

 6) Após a mensagem “Rebuilding Search Index” mudar para “Quick Search” (Busca rápida), digite o nome chntpw e aguarde alguns instantes enquanto o programa exibe os resultados.

 7) Para instalar o chntpw, clique sobre o resultado com o botão direito do mouse e selecione a opção “Mark for installation” (Marcar para instalação).

8) O Synaptic Package Manager não realiza a instalação do software automaticamente após você selecioná-lo. Para realizar esse processo, é preciso clicar no botão “Apply” (Aplicar), localizado na parte superior da janela.

 9) Na janela que abre, selecione a opção “Apply” para realizar a instalação do chntpw.

 10) Após alguns instantes surge a tela que confirma a instalação correta do programa. Basta clicar na opção “Close” para encerrar.

 Instalação em sistemas com Windows 64 Bits

Em sistemas que possuem uma versão 64 Bits do Windows instalada, não é possível utilizar a versão comum do chntpw para recuperar as senhas. Felizmente existe uma versão modificada do programa desenvolvida especialmente para esse caso. Porém, o método de instalação é diferente e exige a realização dos passos abaixo:

1) Abra o Firefox ou outro navegador de sua preferência instalado no Ubuntu. No caso deste artigo, o Firefox se mostra a opção mais viável por já acompanhar a distribuição presente no pendrive utilizado para realizar o boot do sistema operacional.

2) Acesse o endereço http://packages.debian.org/sid/amd64/chntpw/download para ser enviado a uma página onde estão disponíveis diversos links para download da versão alternativa do chntpw.

 3) Não se preocupe em escolher um link específico entre as opções disponíveis, já que todas realizam o download do mesmo arquivo. Porém, por questões de velocidade, recomenda-se escolher os servidores localizados na América do Sul.

 4) Na janela que surge, selecione a opção “Save File” (Salvar arquivo) a fim de realizar o download do chntpw para a pasta padrão utilizada pelo Ubuntu.

 5) Depois de realizar a etapa anterior, feche o Firefox caso deseje. O próximo passo é abrir o Terminal do Ubuntu, localizado em Applications>Acessories, conforme mostra a imagem abaixo:

 6) No terminal do Ubuntu, digite “cd Downloads” e em seguida “sudo dpkg –i chntpw*” (sem as aspas, em ambos os casos), apertando Enter após cada frase, para realizar a instalação do chntpw, baixado na etapa de número 4.

 7) Caso o computador possua uma versão 32 Bits do Windows e o usuário tente realizar as etapas demonstradas aqui, será exibida uma mensagem de erro, conforme mostra a imagem abaixo. Nesse caso, para instalar o chntpw basta seguir as etapas apresentadas na seção Windows 32 deste artigo.

Após instalar o chntpw, hora de recuperar a senha

Antes de utilizar o chntpw para recuperar ou modificar a senha utilizada para realizar o login, é necessário montar no Ubuntu o disco rígido onde está localizada a instalação do Windows. Felizmente, as versões 9.10 ou superiores do Ubuntu realizam isso de forma fácil, sem que seja preciso passar por nenhum processo de configuração complicado.

1) Selecione “Places”, e em seguida clique sobre a opção que representa o disco rígido utilizado. Caso você possua mais de um HD no computador e não seja fácil identificá-los pelo tamanho, selecione a opção “Computer” e em seguida localize o local onde foi realizada a instalação do Windows.

 2) Na janela que abre, anote o número mostrado na parte superior da tela. Esse é número corresponde ao disco rígido, e será utilizado nas próximas etapas para que seja possível utilizar o chntpw corretamente.

 3) Em seguida, abra novamente o Terminal do Ubuntu, conforme mostrado na etapa 5 da instalação do chntpw em sistemas 64 Bits.

 4) No Terminal, digite a frase cd /media e em seguida ls para exibir um número que deve corresponder àquele anotado durante a etapa 2.

 6) É preciso mudar o diretório utilizado pelo sistema para que seja possível utilizar corretamente o chntpw. Para isso, basta digitar a frase cd Windows/system32/config/.

 7) Caso deseje mudar a senha utilizada pelo administrador do sistema, basta digitar a frase sudo chntpw SAM.

 8) Na parte inferior da tela surge uma série de opções que permitem resetar ou modificar a senha utilizada, além de elevar o nível de acesso do usuário selecionado para administrador. Recomenda-se selecionar a primeira opção e, depois de logar no Windows, utilizar as funções do próprio sistema operacional para definir uma nova senha. Para isso, basta digitar o número 1 e, em seguida y para confirmar sua escolha.

 9) Se deseja resetar ou modificar a senha de um outro usuário que não seja o administrador padrão do sistema, volte até a etapa 7 e digite a frase sudo chntpw –u SAM no lugar de sudo chntpw SAM, lembrando de trocar o campo “” pelo de algum usuário do computador. Em seguida, basta proceder da mesma maneira apresentada na etapa 8 para realizar as modificações desejadas.

Segundo método: modificar arquivos do sistema operacional

A solução mais simples para o problema é acessar o Controle de contas do Windows, selecionar o usuário do qual não se sabe a senha e escolher uma nova. Porém, essa é uma solução que se mostra inacessível quando a conta que foi acessada não possui privilégios de administrador ou só há um único usuário no computador.

Felizmente, ao fazer o boot da máquina com o sistema operacional Ubuntu, pode-se configurar o acesso a algumas funções que burlam a necessidade de fazer login no Windows para modificar as senhas do usuário, inicie o modo de uso sem nenhuma instalação (esse método também pode ser feito pelo live cd do Ubuntu).

Mãos à obra

1. Após acessar o computador com o Ubuntu, entre nas pastas do sistema e dentro da pasta “Windows/System32” localize o arquivo “sethc.exe”;

2. Mude o nome do arquivo de maneira que seja fácil lembrar-se dele, já que será necessário restaurá-lo após terminar o processo de reconfigurar as senhas do sistema. Durante a confecção deste artigo, utilizamos o nome “sethc-original.exe” para facilitar o processo;

 3. Ainda na pasta System32, localize o arquivo “cmd.exe” e faça uma cópia dele. Certifique-se de deixá-la em um local seguro para evitar problemas nas etapas posteriores;

 4. Em seguida, renomeie o “cmd.exe” para “sethc.exe” e reinicie a máquina, desta vez com o sistema operacional Windows;

5. Ao chegar a hora de escolher o usuário para realizar o login no computador, aperte cinco vezes a tecla Shift para abrir o painel de comandos do Windows. Em seguida, digite a linha “control userpasswords2” e aperte Enter.

6. Logo após será aberta a janela de Contas de usuário do sistema operacional. Para mudar a senha de acesso, basta selecionar o usuário desejado e em seguida clicar na opção “Redefinir senha”;

7. Na janela que surge, basta digitar duas vezes a senha desejada e clicar em “OK”. Pronto, agora você já pode realizar o login no computador com a nova senha configurada;

 8. Não se esqueça de realizar novamente o login da máquina através do Linux e restaurar o nome dos arquivos modificados para seu valor original. Caso contrário, podem ocorrer problemas durante a utilização do Windows, principalmente quando for necessário acessar o prompt de comando do sistema.

Por Felipe Gugelmin

Autor: Tércio Pinheiro 

http;//informaticamestre.blogspot.com